quinta-feira, 3 de julho de 2014

Lobão Filho está longe de ser o candidato frágil
que a oposição maranhense imaginava


Quando Lobão Filho (PMDB) foi indicado para disputar o Governo do Maranhão, escrevi: Luís Fernando era a qualidade, Lobão Filho é a quantidade. Com isso queria dizer que os políticos do grupo iriam abraçar em massa e irrestritamente a candidatura de Lobão Filho.
Em outro texto, escrevi que a candidatura de Lobão Filho representaria mais risco para Flávio Dino (PCdoB) do que a de Luís Fernando. E expliquei: Primeiro, terá todo o apoio do grupo a que pertence e contará com o auxílio luxuoso do pai, ministro Edison Lobão, há muito o político maranhense com melhor relacionamento com prefeitos.
Bom, houve até um tolo que deixou o seguinte comentário: “Edinho Lobão! hahaha.” Prova de que o torcedor geralmente vive a bons metros acima do chão.
Pois é, o crescimento imediato de Lobão Filho mostrou que a análise feita com a distância necessária tem reais chances de acertar, já os que trocam a análise dos fatos pela torcida descabelada de oposição…
Para a oposição, Lobão Filho era apenas um playboyzinho endinheirado. Quando ele começou a dar entrevistas, bem, viram que a coisa não era bem assim.
Eu havia escrito que o Maranhão precisa de um choque de capitalismo (referência à frase de Mário Covas, feita referindo-se ao Brasil, quando foi candidato a presidente da República).
Numa de suas primeiras entrevistas, Lobão Filho disse que o Maranhão precisa ser incentivado ao empreendedorismo e citou o exemplo do Ceará. Disse, ainda, que o Estado precisa ser gerido como uma empresa.
Não há como dizer que, se eleito, ele porá em prática o que disse. Mas a proposta é absolutamente correta. Ninguém precisa gostar dele ou mesmo votar nele para chegar a essa conclusão.
O certo é que a oposição acusou o golpe. Imediatamente tratou de criar factoides contra o adversário nas redes sociais. Primeiro, inventaram que ele não era candidato para valer e que seria substituído pelo senador João Alberto. Logo depois, trataram de espalhar que ele tinha uma condenação e era ficha suja, portanto, não poderia concorrer.
Para quem o considerava um mero playboyzinho, convenhamos, foi uma mudança e tanto. Por que inventar factoides contra um playboyzinho sem perspectivas eleitorais?
Depois dessa entrevista de Lobão Filho, reparem bem, Flávio Dino deixou de participar de eventos metido em camisa vermelha, ele que desde 2008, quando disputou a Prefeitura de São Luís, assim se vestia numa referência à esquerda e ao Partido Comunista do Brasil, partido a que é filiado. De quebra, passou a usar no pescoço uma cruz de madeira gigantesca.
 
 
Aliados de Lobão Filho afirmam que ele conta com o apoio de 198 prefeitos. O Maranhão tem 217 municípios. A ser verdade (não tenho como dizê-lo), trata-se de algo preocupante para a oposição representada por Dino.
 
Para completar, Flávio Dino coligou-se com o PSDB (tem como vice um tucano e apoia a candidatura de Aécio Neves a presidente da República). Escrevi um post no qual analisei a decisão de Dino como um equívoco. Antes que algum tolo diga besteira, repito que voto em Aécio Neves, afinal quero o PT longe da Presidência da República. Mas eu não sou candidato a coisa nenhuma.
 
Com essa decisão (e foi por isso que escrevi tratar-se de um equívoco de Dino), Lula e Dilma estarão no palanque eletrônico de Lobão Filho. Na verdade, isso tornou Dilma e o PT nacional mais dependentes do PMDB maranhense, sobretudo numa eleição em que as coisas andam um bocado complicadas para o petismo.
 
 
Com tudo isso estou a dizer que Lobão Filho irá vencer a eleição? Nunca. Só um tolo faria previsões ainda em julho. Da mesma forma que no post abaixo deste eu disse que Dino sai na dianteira, mas não ousei um palpite de vitória. Apenas procuro me aproximar o máximo possível dos fatos que cercam os dois candidatos de maior volume eleitoral até aqui.
 
O jogo, meus caros, está só começando.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Flávio Dino e os refugos do grupo Sarney; é com eles que o Maranhão vai mudar???

http://www.netoferreira.com.br/wp-content/uploads/2014/02/flavio-e-z%C3%A9-reinaldo.jpg
O corrupto-mor do Maranhão, José Reinaldo: inventor de Dino, levou também os refugos para ele

O comunista Flávio Dino tenta ser governador do Maranhão com o discurso segundo o qual o estado precisa mudar do grupo Sarney.
Mas a mudança que Flávio Dino propõe ele quer fazer exatamente com membros do grupo Sarney. Pior: os membros do grupo que decidiram apoiar o comunista são simplesmente refugos, o que há de pior em termos de atuação política e corrupção.
Alguns deles:
José Reinaldo Tavares (PSB): o ex-governador é o pai-de-todos-os-refugos do grupo Sarney. Maior traidor da história política do Maranhão, Tavares elevou à enésima potência  a corrupção em seu governo, exatamente para tentar derrotar o grupo Sarney. Corrupção que serviu, inclusive, para eleger o próprio Flávio Dino. Foi preso e hoje responde a processo da chamada Operação  Navalha.
http://1.bp.blogspot.com/-sCUH86LUV5g/UfvFIf1qXyI/AAAAAAAAAag/Pnpg6KeFX_A/s1600/brandaoflavio.jpg
Carlos Brandão: com pendências no TCU, ajudará Dino a “mudar” o Maranhão

Carlos Brandão (PSDB) - escolhido pelo próprio Flávio Dino vice em sua chapa, por indicação de José Reinaldo, o deputado federal é sócio de uma empresa condenada pelo TCU a devolver dinheiro público desviado da Prefeitura de Colinas. Sua escolha assustou até a família do principal aliado de Dino, o jornalista Márcio Jerry. Mas é com Brandão, e seu passivo criminal, que o comunista pretende mudar o Maranhão.
http://2.bp.blogspot.com/-ZdfoPTt-NUo/UvjEhm5BG4I/AAAAAAAATcY/pDWfl5OoaHk/s1600/DSCN7586.JPG
Dino com Tema: rolou até visita na prisão

Cleomar Tema Cunha (PSB): o prefeito de Tuntum é outro expoente da corrupção que apoia Flávio Dino. Também construiu a vida pública atrelado ao grupo Sarney. Outro que foi preso pela Polícia Federal, por corrupção em outro caso, a Rapina. Foi um dos responsáveis por dar votos a Flávio Dino sem que o comunista precisasse sequer conhecer Tuntum. Em termos de ficha criminal, é um dos piores refugos do grupo Sarney. E está com Dino.
http://blog.jornalpequeno.com.br/johncutrim/files/2014/05/deputados-e1380931742656.jpg
Flávio Dino e Maranhão: outro refugo com passivo gigantesco

Waldir Maranhão (PP): ex-reitor da Uema, hoje deputado federal quase inelegível por corrupção eleitoral, muda de lado político de acordo com as conveniências pessoais – e das chances de escapar das condenações. Já esteve com Jackson Lago (PDT), com Roseana Sarney (PMDB), com José Reinaldo Tavares (PSB), com João Castelo (PSDB), com Tadeu Palácio (PP), com Edivaldo Júnior (PTC) e agora com Flávio Dino para mudar do “Maranhão” – apenas o do sobrenome?
http://1.bp.blogspot.com/-xaBNppb9UHg/U2ezOVEtMeI/AAAAAAAAB8I/9VQcR7U0Bq0/s640/patricia.jpg
Flávio com Zé Vieira: este nem pode mais ser candidato

Zé Vieira (PROS): este nunca foi exatamente do grupo Sarney por que sua mancha era tão grande que causava preocupação em aliados. Também é outro aliado de Flávio Dino inelegível por corrupção.  Sua história de vida em Bacabal tem nuances que assustam até os mais destemidos críticos. E é com ele que Flávio Dino faz campanha na região do Mearim.
http://3.bp.blogspot.com/-rieONqSErKA/U3pFcsWUgyI/AAAAAAAAUdQ/jU7lyzu84DI/s1600/CEC%C3%89.jpg
Cecé Monteiro, ao centro. A mais nova aquisição de Dino: belo exemplar a espécie dos corruptos
 
Cecé Monteiro (PMDB) - Mais novo refugo do grupo Sarney a se juntar à turba dinista, o ex-prefeito de Apicun-Açu tem uma folha-corrida desproporcional aos anos de vida do município.  Monteiro foi condenado em 2011 a 5 anos de prisão e a quase 4 anos de detenção, também por corrupção.   Responde a diversos outros inquéritos e processos por desvio de verbas e corrupção. Mesmo assim, Flávio Dino foi recrutá-lo pra suas hostes.

Estes são apenas alguns dos refugos sarneysistas – há muitos outros, corruptos de toda sorte, bandoleiros e criminosos já condenados – que perderam espaços no grupo e agora se abrigam no seio de Flávio Dino.
E é com este tipo de gente que Flávio Dino quer mudar o Maranhão…

sábado, 22 de fevereiro de 2014

A situação confortável de Arnaldo Melo…

arnaldomelonova
 
 
É inegável o fortalecimento do presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Melo (PMDB), e a sua situação confortável no atual cenário político no Maranhão.
 
Arnaldo Melo se fortaleceu na Assembleia, conforme este Blog já destacou (reveja), e atualmente é o favorito numa eventual eleição indireta no parlamento maranhense. Melo tem apoio da Oposição e da maioria dos deputados da base governista.
 
Além das boas movimentações no tabuleiro de xadrez, Arnaldo Melo ainda contou com a inabilidade de alguns adversários, que ao tentarem ajudar, acabaram atrapalhando Luis Fernando (PMDB) na Assembleia.
 
No entanto, o fator que mais contribuiu com o fortalecimento de Arnaldo Melo foi a indecisão ou omissão de alguns dos líderes do grupo Sarney com relação às eleições de 2014 e as respectivas tomadas de decisões necessárias.
 
Outro candidato – A indecisão visível e a não tomada de posição mais cedo do governo, já fez até alguns deputados articularem um Plano B para um eventual acerto entre Arnaldo Melo e a cúpula do Palácio dos Leões.
 
Esses deputados asseguram que se não houver nenhuma determinação ou acordo com o governo, a Assembleia Legislativa terá um deputado estadual candidato na eleição indireta, mesmo que não seja Arnaldo Melo. Para isso, esse grupo de deputados, já conta com o apoio dos onze parlamentares da Oposição, o que lhes assegurariam maioria no caso de uma disputa.
 
Pelo visto, o governo, pela demora tardia para agir, deverá pagar um preço alto para conseguir reverter o jogo e nem deve arriscar algo diferente, vide as constantes derrotas já sofridas no parlamento.
 
A única esperança para reversão do quadro é a chegada do senador José Sarney, que desembarca nesta sexta-feira (21) em São Luís, aí tudo pode acontecer, inclusive nada.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014


Roseana deve confirmar candidatura ao Senado Federal

roseanasarney15
 
 
O que era dúvida, aos poucos vai se transformando em certeza e no meio político, praticamente ninguém tem mais dúvida de que a governadora Roseana Sarney (PMDB) será candidata ao Senado Federal.
 
Na semana passada, em reunião com alguns deputados estaduais, Roseana já falava como se fosse certa a sua candidatura e pediu que todos trabalhem pelo consenso e uma transição tranquila na eleição indireta na Assembleia Legislativa.
 
A tendência é que Roseana deixe o governo no início de março, um mês antes do prazo previsto pela legislação eleitoral, 04 de abril. A saída com antecedência seria para não prejudicar o presidente da Assembleia, Arnaldo Melo, que pode correr o risco de assumir o governo no período vedado e ficar inelegível, salvo se for para uma reeleição para governador.
 
Durante o fim de semana circulou a informação que a governadora já teria inclusive acertado os detalhes da eleição indireta com Arnaldo Melo. Apesar da Oposição apostar num racha na base governista e numa eventual disputa entre Melo e Luis Fernando, a tendência é que Arnaldo Melo assuma o governo por 30 dias e comande o processo eleitoral tudo de comum acordo com a governadora e seu grupo político.
 
É aguardar e conferir, pois durante a semana deveremos ter novidades.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

De como um eventual governo Flávio Dino pode ser ameaça às liberdades democráticas…

http://www.marcelovieira.blog.br/wp-content/uploads/2013/04/flavio-dino3.jpg
Dino: descontrolado sem poder; imagine com…

Nos primeiros dias de janeiro deste ano, após os ataques a ônibus e delegacias de São Luís, este blog começou a publicar informações de que um pedido de intervenção no Maranhão estava na mesa do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Este blog revelou ainda que o principal assessor de Janot é o procurador Nicolao Dino, irmão do chefão comunista Flávio Dino, que havia defendido, um dia antes, a mesma intervenção no Maranhão. (Releia aqui)

Nos dias que se seguiram, blogs alinhados a Flávio Dino começaram a publicar histórias de um processo de calúnia e difamação na Justiça Federal envolvendo o titular deste blog.

O processo, de 2007, está parado há mais de seis anos, e na avaliação de especialistas e advogados que acompanham o caso, já estaria prescrito. Mas, de uma hora para outra, os blogs do chefão começaram a tratar do assunto como sendo algo recente e de iminente julgamento.  (Releia aqui)

Uma fonte ligada à própria Justiça Federal ligou então para o titular deste blog,  no dia 23 de janeiro, por volta das 20h, com uma espécie de alerta:

- Cuidado! estão tentando te sacanear, acelerando teu processo - disse a fonte.
No dia seguinte, um dos advogados que cuida do caso pesquisou sobre o processo e confirmou que ele estava parado e sem movimentação há anos.
Dois dias depois, outro advogado alertou: “há um pedido do Ministério Público Federal para que o caso seja julgado”.

O Ministério Público Federal é a instância em que trabalham Rodrigo Janot e Nicolao Dino, irmão de Flávio Dino.

O titular do blog voltou acionar os advogados para que atentassem para o caso, por que sentia “suspeitas de que estão querendo me intimidar usando isso”.

Desde então, os advogados passaram a acompanhar novamente o caso – que está suspenso por um incidente processual ainda não transitado em julgado. Curiosamente, este incidente processual foi orientado ao titular deste blog pelo próprio Dino, em uma conversa informal na Assembleia, ainda em 2008.

Detectado o incidente processual, o assunto do processo desapareceu novamente da blogosfera comunista; até ontem, quando eles começaram a divulgar a notícia de que o chefão resolveu processar o titular deste blog por calúnia e difamação.

O titular deste blog volta a revelar: o chefão comunista tentou cooptá-lo por diversas vezes nos últimos três anos, inclusive com convites para idas a Brasília.

Como não conseguiu, passou a querer intimidá-lo com agressões de toda sorte na blogosfera alugada pelos setores que o apoiam.

Não conseguiu nem um, nem ouro intento. Agora tenta persegui-lo pelas vias judiciais.
Do que ele será capaz caso se eleja governador???

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Washington é eleito para o TCE e incia debate sobre o futuro do governo

washington
 
O vice-governador, Washington Oliveira, foi eleito hoje conselheiro do TCE, por 29 votos a favor.
 
Votaram contra apenas quatro deputados: Othelino Neto (PCdoB), Bira do Pindaré (PSB), Rubens Júnior (PCdoB) e Eliziane Gama (PPS).
 
Já o deputado Marcelo Tavares (PSB) se absteve. E ainda oito parlamentares se ausentaram da votação.
Com a escolha por Washington, abre-se agora o debate sobre o futuro do governo Roseana Sarney (PMDB).
 
Para ser candidata a qualquer cargo em outubro, Roseana precisa renunciar até abril. Se assim o fizer, o presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Melo (PMDB), assume o governo por 30 dias e convoca eleição indireta na Casa.
 
Nesta eleição indireta, só votam os deputados; e qualquer cidadão maranhense com seus direitos eleitorais em dia, pode ser candidato.
 
Dependendo da data, o próprio secretário estadual de Infraestrutura, Luís Fernando Silva, pode ser candidato.
 
Mas esta é uma outra história…

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Projeto que duplica população de Brejo de Areia provoca polêmica entre Deputados

O Projeto de Lei n° 258/2013, de autoria do deputado estadual Stênio Rezende (PMDB), que trata da alteração dos limites dos municípios de Brejo de Areia e Santa Luzia, abriu nova polêmica na Assembleia Legislativa do Maranhão. O projeto, que na verdade pede o desmembramento de uma área equivalente a 691 km² de Santa Luzia para o município de Brejo de Areia, seria apreciado ontem em regime de urgência, como sugeria o requerimento n° 376/2013 de Rezende. Mas, como já havia entendimento contrário da maioria dos membros do legislativo, o autor da proposta a retirou de pauta. Com isso, o projeto de lei necessariamente terá de tramitar normalmente nas comissões de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e de Assuntos Municipais e Desenvolvimento Regional.

Um dos motivos que levou os deputados a acertarem nos bastidores a rejeição da proposta caso ela fosse à votação, o que fez com que Stênio a retirasse de pauta, é o fato de haver a possibilidade de grave impacto econômico em Santa Luzia, com redução dos repasses constitucionais ao Município.



Santa Luzia dispõe atualmente de uma população de 75.444 habitantes. Mas perderia 4.963 habitantes e um território de 691 km² com o desmembramento. Brejo de Areia, por sua vez, dispõe de apenas 235 km² e uma população de 4.591 pessoas.

Ou seja, com a aprovação da proposta, Brejo de Areia teria triplicada a sua área territorial e duplicado o seu contingente populacional. “Brejo de Areia receberia uma área que é quase quatro vezes maior ao seu próprio território, algo que precisa ser bastante analisado”, afirmou Eduardo Braide (PMN), que se posicionou de forma contrária ao projeto.

Divergência – Além de o projeto adicionar a Brejo de Areia um território três vezes maior ao que hoje lhe pertence, há também divergências em relação aos argumentos utilizados no pedido.

Stênio Rezende propõe a correção de erro material da Lei n° 6.144 de 10 de novembro de 1994 – que criou Brejo de Areia -, alterada pela lei n° 9.831, de junho de 2013, que consolida os limites territoriais do município.

Segundo Eduardo Braide, no entanto, não há na criação de Brejo de Areia, qualquer utilização de território do município de Santa Luzia. “Houve sim o desmembramento do município de Altamira do Maranhão. O texto sequer fala em desmembramento de Santa Luzia”, assegurou.

Ele também questiona a não realização de um plebiscito para que haja o desmembramento, como proposto, de Santa Luzia para Brejo de Areia. O parlamentar apresentou à CCJ certidão do Tribunal Regional Eleitoral, que atesta a inexistência de uma consulta plebiscitária.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Outros cenários para 2014…

arnaldomax
Max e Arnaldo podem comandar eleição
 
O parecer do procurador-geral da República pela cassação da governadora Roseana Sarney (PMDB) – e de seu vice, Washington Oliveira (PT) – abre pelo menos três novos cenários eleitorais no Maranhão.
E todos eles garantem ao grupo da própria governadora a condição de ter um governador disputando, no cargo, as eleições de 2014.
 
Caso o Tribunal Superior Eleitoral opte por seguir o parecer da PGR e decida por afastar Roseana, quem assume o governo, temporariamente, é o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB).  Em seu lugar, assume a Assembleia o deputado Max Barros (PMDB), que tem 30 dias para convocar eleição indireta para governador.
 
 

Luís Fernando Silva também opção
 
Eleição indireta é aquela em que votam apenas os deputados estaduais – representantes do povo.
Nenhum membro da oposição maranhense, a princípio, tem chances de vencer uma eleição indireta para o governo na Assembleia – nem o próprio Flávio Dino (PCdoB).
 
Neste caso, resta apenas decidir se se elege Arnaldo Melo, Max Barros ou o próprio secretário Luís Fernando Silva (PMDB), que também poderia ser candidato.
 
Eleito indiretamente, qualquer um dos três poderá disputar, no cargo, a reeleição de 2014, para mais quatro anos de mandato.
 
As regras são as mesmas para o caso de uma eventual renúncia da governadora.
 
Mas esta é uma outra história…

Roberto Gurgel opta pela cassação de Roseana
Roberto Gurgel opta por cassação de Roseana
 
Faltando poucos dias para deixar o cargo de procurador-geral da República, Roberto Gurgel apresentou hoje, 7, parecer favorável ao Tribunal Superior Eleitoral pela cassação do mandato da governadora Roseana Sarney, e de seu vice, Washington Oliveira.
Gurgel passou um bom período para chegar a esta conclusão. Ele acatou um ação do ex-governador José Reinaldo Tavares, em que acusa a coligação da então candidata Roseana Sarney por abuso de poder político e econômico.
Zé Reinaldo, que gastou mais R$ 1 bilhão na campanha do seu candidato Jackson Lago, em 2006, considera que na campanha de Roseana, em 2010, aconteceu o mesmo ilícito. Lago foi cassado. O ex-governador quer agora que a mesma medida seja adotada para Roseana Sarney.
O que difere um processo do outro é que, na campanha de Jackson Lago, as denúncias são mais consistentes, e com provas mais fundamentadas. Além disso, na época da cassação de Jackson Lago, o representante do Ministério Público Eleitoral votou contra a cassação do ex-governador pedetista. E ele acabou sendo cassado.
Agora, no caso de Roseana Sarney, a relatora do processo é a ministra Luciana Lóssio, que deve se manter impedida pelo fato de ter sido advogada de Roseana no pleito de 2006.
O clima no TSE, segundo fonte do próprio tribunal ao Blog do Luís Cardoso, é de que o oarecer de Roberto Gurgel não terá seguidores suficientes para a cassação do mandato da atual governadora do Maranhão.

quarta-feira, 26 de junho de 2013